• D-Sec

Os erros de cibersegurança mais comuns em startups

Conheça as falhas que facilitam os ataques virtuais e veja dicas práticas para evitá-las


De acordo com um levantamento feito pela Associação Brasileira de Startups (ABStartups), de 2015 até 2019, o número de startups mais que triplicou, passando de 4.151 para 12.727, representando um salto de 207%. Atualmente, o país conta com mais de 14 mil organizações desse tipo.

Trata-se de um modelo de empresa que tem o objetivo de crescer de maneira agressiva e solucionar uma dor com inovações e tendências do ramo tecnológico e, como você deve imaginar, o empreendedor que aposta nesse tipo de negócio tem inúmeras preocupações e tarefas para que essa nova empresa se desenvolva.

Nesse cenário complexo que exige muita agilidade, pode ser que a cibersegurança não seja uma das prioridades e é aí que as portas para os erros de segurança são abertas.

Hoje, vamos te contar quais são os principais erros de segurança da informação que acontecem em startups para que você conheça os riscos, saiba como se proteger e siga um caminho seguro no seu empreendimento. Vamos lá!


Erros de cibersegurança mais comuns

Inúmeras pesquisas apontam que grande parte das violações de segurança cibernética acontecem graças a falhas humanas. Usuários reais acabam caindo nos golpes de cibercriminosos ao acessar sites, abrir e-mails, clicar em links e por aí vai. Quando falamos em startups, modalidade de empresa que aumenta seu número de colaboradores de acordo com o crescimento da demanda interna, os erros podem se tornar ainda mais frequentes no fluxo de trabalho de cada time. Além disso, a pandemia impulsionou ainda mais todas as empresas a adotarem o trabalho híbrido ou remoto. Esses são modelos que podem trazer muitos problemas para a empresa se a equipe não tiver sido muito bem orientada para lidar com o ambiente digital.

Agora, vamos conferir os erros de segurança da informação mais frequentes para que você saiba os impactos desse tipo de problema no seu negócio.

Perder senhas e acessos

O crescimento da equipe em um curto período de tempo ou uma grande rotatividade de colaboradores pode causar um cenário de descuido com as senhas e acessos da empresa. Você pode imaginar que outro funcionário pode abrir contas novas e o problema seria “resolvido”. Mas a verdade é que dificilmente essas novas senhas serão compartilhadas com a equipe e, de novo, a empresa não conseguirá receber suas credenciais. Ainda há uma questão importante por aqui. Se as senhas do seu negócio estão sendo perdidas facilmente, é provável que você deva repensar quem está autorizado a receber esses acessos. Afinal, a falta de limites com o compartilhamento de credenciais pode aumentar o risco de os colaboradores caírem em golpes de phishing ou outros ciberataques com hackeamento de contas.

Além disso, se você não sabe quem tem acesso às credenciais da empresa, fica muito mais difícil encontrar a fonte do vazamento diante de um ataque à segurança da informação.


Não manter os sistemas atualizados

Com a rotina acelerada de uma startup e o crescimento constante, pode ser que a atualização frequente dos sistemas utilizados seja deixada de lado. Esse é um erro relativamente fácil de ser corrigido e que, se ignorado, pode trazer problemas graves para a sua empresa.

Diversos ciberataques se tornam possíveis quando um software não está atualizado, por exemplo. Afinal, um sistema ultrapassado tende a facilitar o processo de uma invasão. Esse tipo de ataque, além de trazer prejuízos financeiros e operacionais, pode causar problemas ainda mais graves que afetam, inclusive, a reputação do negócio.


Não ter políticas e normas de segurança bem definidas para o uso de equipamentos da empresa

Para quem trabalha no escritório ou adotou o modelo home office, é essencial que existam regras para o uso de computadores, notebooks e dispositivos móveis da empresa, ainda mais quando esses equipamentos precisam ser levados para casa. Nesses casos, há um risco maior de que os colaboradores utilizem o computador da empresa para lazer pessoal ou façam uso do seu próprio computador para executar o trabalho corporativo.

Esse tipo de ação que não tem normas bem estabelecidas deixa os sistemas da empresa muito mais vulneráveis a invasões. Por isso, é importante definir regras e fiscalizar a equipe para evitar problemas.


Pensar que ciberataques nunca vão acontecer com a sua empresa

É comum que os empreendedores de startups, com seu perfil aventureiro, não acreditem que seu negócio será alvo de um ataque virtual, já que não fazem grandes movimentações financeiras e ainda não têm um nome consolidado no mercado. E o erro está justamente aí. Os ciberataques não precisam estar relacionados às verbas da empresa ou ao reconhecimento dela e, normalmente, acontecem visando o roubo de dados que tem um valor extremamente importante para qualquer negócio. Os cibercriminosos conhecem a rotina de uma startup e reconhecem o grande volume de dados movimentados diariamente, além de entender que esse tipo de informação pode estar vulnerável.


Falta de investimentos em cibersegurança

Acreditar que o seu negócio nunca será alvo de um ataque à segurança da informação faz com que muitos empreendedores não invistam em métodos de cibersegurança. Estamos falando de questões que vão desde o preparo dos funcionários até aplicações que colaboram na proteção do seu negócio no mundo virtual. Vale sempre lembrar que prevenir ciberataques custa muito menos do que reparar os problemas causados por eles.


Como evitar ciberataques?

Como já te falamos por aqui, grande parte dos problemas de cibersegurança que acontecem em uma empresa estão relacionados ao fator humano e, por isso, é por aí que devemos começar.

Analise os perigos que os próprios usuários da empresa podem trazer para a segurança virtual e desenvolva uma política completa de autorizações e senhas.

Você pode começar definindo quem realmente precisa ter determinados acessos, depois criar regras para o uso de equipamentos de trabalho e assim por diante. Em seguida, é hora de começar a pensar nas aplicações que podem proteger os sistemas da sua empresa, antes mesmo que um ataque cibernético aconteça. Invista em um bom antivírus e pense na possibilidade de adotar um programa de bug bounty - especialistas contratados analisam a sua segurança da informação para buscar e relatar falhas, bugs e possíveis vulnerabilidades.

Afinal, quando você já estiver com os relatórios que apontam as falhas de cibersegurança em mãos, fica muito mais fácil desenvolver soluções que vão proteger o seu negócio.

Na hora de colocar a proteção em prática, conte com a D-Sec! Os nossos especialistas desenvolvem e executam projetos completos e personalizados para resolver todas as suas questões de segurança da informação e compliance em TI. Entre em contato conosco e solicite a sua proposta!


6 views0 comments